The Beauty Routine

Scroll to Info & Navigation

Last Night a Towelette Saved My Life

13 de Outubro de 2011

No que toca aos sagrados mandamentos da beleza, o primeiro é certamente  ”Não te deitarás sem o rosto limpar”. Qualquer editora de beleza, maquilhadora, esteticista ou dermatologista vos dirá que não podem jamais falhar este passo e jurará a pés juntos que ela mesma o pratica religiosamente.

No entanto todas nós acabamos por pecar. Por preguiça, geralmente. Ou porque fomos sair à noite e às 4 da manhã NINGUÉM quer saber de cuidados de beleza, ou porque nos encostámos a ler um livro e já não apetece levantar… enfim, todos os motivos parecem válidos e se for de vez em quando não faz assim tão mal pois não? Faz.

É para esses dias que foram inventadas as toalhitas desmaquilhantes, uma ideia de génio a par com a da electricidade ou a dos post its, e só um bocadinho menos genial que a invenção da internet.

A bola está do nosso lado e o problema agora é conseguir encontrar umas toalhitas que ao mesmo tempo que limpam e desmaquilham  na perfeição, simultaneamente hidratem a pele, sem a irritar.

Depois de anos e anos a experimentar todas as marcas, das mais caras às mais baratinhas, depois de vermelhidões, rímel que teima em ficar, borbulhas que aparecem na manhã seguinte, ou aquelas que são ok, consegui, completamente por acaso, encontrar aquelas pelas quais ponho as mãos no fogo.

Ladies and gentlemen, I present you Yes to Cucumbers Natural Glow Facial Towelettes.

São oil free e boas para todos os tipos de pele, removem TUDO: sujidade, oleosidade, maquilhagem e ainda hidratam a pele. Basicamente, e depois de pesquisar um pouco percebi isso acontece  porque têm aloe vera (dispensa apresentações), extracto de pepino (que supostamente tem propriedade adstringentes e descongestionantes – lembrem-se das senhoras com rodelas nos olhos), sais minerais do Mar Morto (para fazer uma ligeira exfoliação) e extracto de chá verde (antioxidantes, i love you).

Ou seja, são gentis com a pele mas não deixam de ser competentes.

Ah, e levam alguns pontos extra porque são feitas com materiais biodegradaveis e com 98,7% de ingredientes naturais (pelo que diz na embalagem). Outra coisa óptima, e sei que se usam toalhitas me vão entender: a embalagem tem um fecho de plástico, em vez do habitual papel autocolante (que ao fim de 3 utilizações deixa de o ser), que evita que sequem.

PS: Descobri recentemente que não sou a única com esta opinião. As toalhitas  Yes to Cucumber foram incluídas este ano na lista Best Of Beauty da revista Allure.

Mais uma vez, a Sephora, que as vende por 5 ou 6 euros, não me pagou para dizer isto nem me deu samples, nada. Ontem saí de lá com uma amostra do novo perfume DVF  e já tive sorte! 

Rouge D’Armani, o Ruby Woo versão 2.0

07 de Outubro de 2011

Há uns tempos decidi que precisava de outro batom vermelho. Não podia ser um batom qualquer, o que eu queria era o Ruby Woo. Há algo extremamente apelativo num produto de beleza que é usado por TODAS as nossas referências de estilo: se a Jen Brill o usa todos os dias, ela que é embaixadora da Chanel, é porque é bom e especial. Obviamente, o melhor que existe no mercado.

Com isto em mente, fui a todas as lojas da Mac em Lisboa. Esgotado, esgotado, esgotado, não sabemos quando vamos ter mais em stock. Ugh! Queria usá-lo naquela noite, mas o que fazer? Paciência, encomendo-o na Amazon. Já que estava no El Corte Inglês, passei pelo counter da Giorgio Armani Cosmetics para me queixar, claro. O Alexandre Rodrigues, Face Designer da marca que lá estava nesse dia, perguntou porque é que não experimentas um destes?, não me lembro da resposta mas imagino que tenha sido um bocado ríspida. Claro que adoro a Armani (full disclosure: trabalhei com eles durante algum tempo, tenho muitos produtos que uso diariamente), mas não era nada disso que eu procurava. Eu queria um ícone, não um vermelho bonito.

Mas lá experimentei a então novidade e levei-o para casa não muito convencida. Usei-o nessa noite e rendi-me:  o vermelho mate acetinado é lindo e sofisticado, não demasiado escuro nem muito alaranjado.  E há algo de muito teimoso naquela fórmula, cremosa e hidratante, que a faz durar longas horas nos lábios sem os deixar secos. Não sei como é que eles fazem isto, mas funciona.

Entretanto comprei o ruby woo que, apesar de fabuloso, não lhe chega aos calcanhares. E olhem que eu queria muito que este fosse o meu batom favorito.

(O tom a que me refiro é o Rouge d’Armani 401 e podem encontrá-lo no stand Giorgio Armani Cosmetics, no El Corte Inglês)

SOS ACNE : UM MILAGRE POR 5 EUROS

Estou sempre (mais do que) pronta a experimentar novos produtos e raramente consigo ser fiel a algum por mais tempo do que a validade daquela embalagem. É isto: por muito bom que seja, vai haver sempre outro que pode ou não ser melhor.

Dito isto, há uns meses comprei um stick roll on anti-borbulhas para o meu namorado. Sinceramente, escolhi-o porque era barato e, apesar de ter uma embalagem rosa choc,  era suficientemente pequeno para ele o ter no porta-luvas do carro ou na gaveta do escritório, enfim: perto dele quando eu estou longe.  A única coisa que ele tinha de fazer era aplicar um bocadinho assim que sentisse uma borbulha a crescer. Discretamente, sem sujar a cara ou as mãos. Sem ter trabalho nenhum. E qualquer coisa minimamente desinfectante e anti-inflamatória ia ajudar, pensei eu.

Sephora’s Express Solution - SOS Anti-Borbulhas

Mas afinal aquilo era tão eficaz que acabei por comprar um para mim, depois outro para a minha irmã, mais um para uma amiga e depois para uma colega, e outro para mim, não fosse aquele acabar durante as férias. Não é que este produto actua como aquele dedo do E.T. ? Sabem, aquele que brilha e cura instantaneamente? É do tamanho de um batom e é incolor ou seja, podemos trazê-lo na carteira e aplica-lo várias vezes por dia e em qualquer lugar. Acalma a vermelhidão e seca a borbulha, muitas vezes antes até de a conseguirmos ver ao espelho.

Só tem um senão: o cheiro. Mas não interessa, a sério, acne depois dos 25 é a PIOR coisa do mundo.

(A sephora não me pagou para dizer isto, nem sequer me deu um sample. Sephora, se estás a ler isto, sabes o que tens a fazer.)

Fotografia mete-nojo #1: No  Plaza Hotel, a caminho do vino Spa da Caudalie. (at The Plaza Hotel New York)

Fotografia mete-nojo #1: No Plaza Hotel, a caminho do vino Spa da Caudalie. (at The Plaza Hotel New York)

  • Tags
  • 1
O fotografo favorito do TBR! 

goncalofsantos:

equipaportugal:

Utilizador em Destaque: Gonçalo F. Santos
Blogue: Gonçalo F. Santos
Publicações: Abril 2012
O Gonçalo tem 31 anos e é fotógrafo. Colabora com várias revistas como a GQ, a Time Out e até fotografa capas de CD (como o mais recente trabalho da Luísa Sobral). Pelo seu sucesso dentro e fora de portas, não resistimos em ir conhecer um bocadinho melhor este rapaz.
Este é o teu primeiro blogue? Porque decidiste abrir um blogue no Tumblr?
Este será o meu segundo blogue. Antes tive um blogue noutra plataforma mas nunca gostei muito do aspecto e pior ainda, odiava o nome do site!
Em tempos tive dois blogues no Tumblr, um era com a parte editorial do meu trabalho - retratos e outros trabalhos - e outro onde punha trabalho de autor. Acabei por apagar o último e dedicar-me só a um blogue que é a extensão do meu trabalho do dia-a-dia.
Não sei dizer o porque de ter optado pelo Tumblr, pode ter sido por uma coisa de “moda”. Actualmente é mais uma ferramenta de trabalho, é uma das melhores maneiras de acompanhar o trabalho de outros fotógrafos, acaba por funcionar como uma rede social nesse aspeto.
Como começou a atividade da fotografia para ti? Quando é que pegaste numa câmara pela primeira vez e pensaste “vou fazer aqui um bocado de arte”?
A fotografia de uma forma mais séria começou durante a faculdade, eu estava a tirar uma licenciatura em História Moderna e Contemporânea no ISCTE e, durante o primeiro semestre, tive uma cadeira em que tinha que elaborar um projeto de investigação. Optei por elaborar um projeto sobre a Chechénia e, durante a pesquisa para o trabalho, acabei por tropeçar muitas vezes em fotografias do conflito e dei por mim mais interessado nas fotografias do que em concluir o trabalho.
Nessa altura vivia fascinado com o trabalho do Stanley Greene e do Christopher Morris, fotógrafos de guerra que tinham estado na Chechénia. A nota do projeto foi boa, mas o meu interesse pelo curso começou a esmorecer.
Entretanto descobri um curso de Fotografia no Cenjor e nem sequer cheguei a assistir ao segundo semestre. Fui para o Público fazer um estágio.
Nunca me mentalizei que iria ser fotógrafo ou viver da fotografia, as coisas acabaram por ir acontecendo. Experimentei diferentes áreas dentro da fotografia - do fotojornalismo à fotografia de moda - e fiquei pelo retrato, precisamente a área onde tive mais dificuldades ao princípio.
Para ti, quais são os blogues Tumblr imperdíveis da actualidade?
Por norma, só sigo blogues de fotógrafos ou de pessoas que usam o Tumblr para colocar trabalho original. Dai dizer que o Tumblr é muito uma ferramenta de trabalho. 
Há um blogue de que gosto particularmente, o Subliminous do João Canziani. É um fotografo que vive em Brooklyn que, além de ter um trabalho lindo, é um bom amigo. Parte curiosa, conheci o João através do Tumblr! :) 
Quem são as tuas referências na área da fotografia?
Sem sombra de dúvidas, o Richard Avedon, o Irving Penn e o Helmut Newton. Existem muitos fotógrafos que admiro imenso, mas estes três são as minhas principais referencias.
Que planos tens para 2013 em termos de carreira artística?
Não me considero um artista nem nada que se pareça, fotografo muitos artistas e conheço imensas pessoas fantásticas.
Francamente só quero continuar a fazer retratos! Tenho a sorte de fazer precisamente aquilo que gosto e para ter um 2013 genial é só continuar a fazer o que tenho feito.

Thank you good people of Tumblr in Portugal!

O fotografo favorito do TBR! 

goncalofsantos:

equipaportugal:

Utilizador em Destaque: Gonçalo F. Santos

Blogue: Gonçalo F. Santos

Publicações: Abril 2012

O Gonçalo tem 31 anos e é fotógrafo. Colabora com várias revistas como a GQ, a Time Out e até fotografa capas de CD (como o mais recente trabalho da Luísa Sobral). Pelo seu sucesso dentro e fora de portas, não resistimos em ir conhecer um bocadinho melhor este rapaz.

Este é o teu primeiro blogue? Porque decidiste abrir um blogue no Tumblr?

Este será o meu segundo blogue. Antes tive um blogue noutra plataforma mas nunca gostei muito do aspecto e pior ainda, odiava o nome do site!

Em tempos tive dois blogues no Tumblr, um era com a parte editorial do meu trabalho - retratos e outros trabalhos - e outro onde punha trabalho de autor. Acabei por apagar o último e dedicar-me só a um blogue que é a extensão do meu trabalho do dia-a-dia.

Não sei dizer o porque de ter optado pelo Tumblr, pode ter sido por uma coisa de “moda”. Actualmente é mais uma ferramenta de trabalho, é uma das melhores maneiras de acompanhar o trabalho de outros fotógrafos, acaba por funcionar como uma rede social nesse aspeto.

Como começou a atividade da fotografia para ti? Quando é que pegaste numa câmara pela primeira vez e pensaste “vou fazer aqui um bocado de arte”?

A fotografia de uma forma mais séria começou durante a faculdade, eu estava a tirar uma licenciatura em História Moderna e Contemporânea no ISCTE e, durante o primeiro semestre, tive uma cadeira em que tinha que elaborar um projeto de investigação. Optei por elaborar um projeto sobre a Chechénia e, durante a pesquisa para o trabalho, acabei por tropeçar muitas vezes em fotografias do conflito e dei por mim mais interessado nas fotografias do que em concluir o trabalho.

Nessa altura vivia fascinado com o trabalho do Stanley Greene e do Christopher Morris, fotógrafos de guerra que tinham estado na Chechénia. A nota do projeto foi boa, mas o meu interesse pelo curso começou a esmorecer.

Entretanto descobri um curso de Fotografia no Cenjor e nem sequer cheguei a assistir ao segundo semestre. Fui para o Público fazer um estágio.

Nunca me mentalizei que iria ser fotógrafo ou viver da fotografia, as coisas acabaram por ir acontecendo. Experimentei diferentes áreas dentro da fotografia - do fotojornalismo à fotografia de moda - e fiquei pelo retrato, precisamente a área onde tive mais dificuldades ao princípio.

Para ti, quais são os blogues Tumblr imperdíveis da actualidade?

Por norma, só sigo blogues de fotógrafos ou de pessoas que usam o Tumblr para colocar trabalho original. Dai dizer que o Tumblr é muito uma ferramenta de trabalho. 

Há um blogue de que gosto particularmente, o Subliminous do João Canziani. É um fotografo que vive em Brooklyn que, além de ter um trabalho lindo, é um bom amigo. Parte curiosa, conheci o João através do Tumblr! :) 

Quem são as tuas referências na área da fotografia?

Sem sombra de dúvidas, o Richard Avedon, o Irving Penn e o Helmut Newton. Existem muitos fotógrafos que admiro imenso, mas estes três são as minhas principais referencias.

Que planos tens para 2013 em termos de carreira artística?

Não me considero um artista nem nada que se pareça, fotografo muitos artistas e conheço imensas pessoas fantásticas.

Francamente só quero continuar a fazer retratos! Tenho a sorte de fazer precisamente aquilo que gosto e para ter um 2013 genial é só continuar a fazer o que tenho feito.

Thank you good people of Tumblr in Portugal!